domingo, 25 de novembro de 2012

Ser Pais em tempos de Crise


“Sonhamos ter uma Família grande e unida, construída a partir de muito pouco, que é o que temos agora. Mas Feliz.”
Família Nicolau Campos, Lisboa






6 comentários:

Rosarinho MB disse...

Boa, Catarina!
Ia hoje escrever um texto para o anónimo que pediu sobre exactamente este tema. Mas ainda bem que te antecipaste porque escrito por alguém que já tem filhos é muito melhor e mais apelativo!
beijinhos

Anónimo disse...

Rosarinho MB escreve na mesma!! Gosto da tua escrita! :) Ah... e fala dos sobrinhos que aí vêm!!!! Que bom. :)

Anónimo disse...

Gostei muito da reportagem do público! Obrigada pela partilha. =) Hoje pensei no vosso blog... sinal que me é muito familiar!! Hoje fui almoçar com um dois casais amigos, ambos vivem em união de facto com os /as respectivos /as e falou-se do Natal!
Ok, que as pessoas vivam em união de facto... tudo bem (ou não!!!) agora que: vão com a ideia do "logo se vê" (grrrrrrrr) e cada um passar o Natal com a família respectiva dá-me a volta ao estômago! Fico deveras triste... Sim, porque para aquela gente Natal a dois só quando houver filhos!!!!!!!!!! Enfim, um desabafo de quem vos segue e partilha das vossas opiniões sensatas.

Catarina Nicolau Campos disse...

Não, escreve na mesma!! Isto não diz quase nada e o texto que mandámos para lá, está é na edição impressa do Público, e esta foi só uma frase que eles retiraram da entrevista.
Beijinho

Catarina Nicolau Campos disse...

Muito obrigada! Sim, cada um é livre de tomar a opção que entender, mas um casal que esteja a pensar num casamento está de certeza a apontar para um compromisso mais efectivo e sério do que numa união de facto, com todas as consequências que esta escolha acarreta.
Obrigada nós pelo desabafo!
Um beijinho

Catarina Nicolau Campos disse...

E há ainda a contradição, muitas vezes, de não se quererem casar para não haver um compromisso sério, mas depois escolhem ter filhos.
E há lá compromisso mais sério e para a vida do que ter um filho?