quinta-feira, 8 de novembro de 2012

Psicologia feminina

Há dias em que dá para ir arrumando. Há outros em que se desiste só de pensar. E depois há aqueles dias de inspiração em que agarro numa ponta, sacudir, sacudir, sacudir e sai isto, como aconteceu hoje:


Passados 5 minutos, estava um brinco. Vários psicólogos já se dedicaram a estudar carteiras de mulheres. Que Mundo! Quanto mais pequenas menos coisas precisamos. Mas nas grandes cabe T.U.D.O.

Como se pode ver. Precisas de 3 batons?? Três? Preciso. 
Com um "nunca se sabe", fica o assunto arrumado.

5 comentários:

TeresaHU disse...

É mesmo a tua carteira!!

Ana Ulrich disse...

É mesmo.. True story!

Rosarinho MB disse...

Oh Ana, fartei-me de rir!
Nem sabes, a minha carteira é igual. Arranjo um organizador de carteiras todo fashion mas passados uns dias volta tudo ao mesmo!
O Bernardo está sempre a refilar comigo pela minha organização. No outro dia estava à procura de uma moeda de 2 euros espalhada na carteira (sim, nem no porta moedas estava) e ele decidiu intervir para me ajudar porque nunca mais me despachava e ficou chocado com tanta coisa desarrumada, lol!
Conclusão: fiquei com vergonha, cheguei a casa e arrumei tudo! Mas hoje está desarrumada outra vez, lol!

Maria disse...

Deixem lá.... Como vos compreendo! E não tenho boas notícias, queridas. O problema começa logo no casamento e, com as precoces no noivado. Porque passa a ser o depósito da carteira dele e das chaves do carro (dele). Depois passa a fase 2: as tralhinhas dos bebés (deixem lá que isto é mesmo geral: a Birkin da Hermés foi feita por causa disto, quando a Jane B. teve a sua filha). Depois são as bolachas e as águas deles quando crescem. E aí entra-se mesmo no campo da porcaria... Depois passa a saco da família = saco onde todos põem tudo, incluindo bolas de jogar. Aí é preciso ter cuidado para não trazer uma grande porque corre-se o risco de levar os patins e os skates ou outros instrumentos de brincadeira. Finalmente, passa-se estas fases e fica-se só com a tralha "pessoal", intervalada com o regime de depósito da carteira e das chaves do carro dele. Parece que não, mas esta é a pior fase. Não se encontra nada, a não ser atirando tudo para o chão. Mas tem um lado bom: ajuda ao stress e encontra-se tudo. Já experimentaram? É tão libertador fazer isto à porta de casa para encontrar as chaves! Não sei porquê, mas é...

Rosarinho MB disse...

ahahah! Que engraçado!
Acredite, eu não sou casada nem estou noiva, mas a minha carteira é constantemente o depósito das chaves e da carteira dele!(mas eu gosto tanto!)
bjs