segunda-feira, 21 de janeiro de 2013

Eu tenho uma Chanel preta no lado esquerdo da vida


Porque ganhei-a num concurso no Blog da Maria, com o suor da minha imaginação de um sábado de manhã. E, não há volta a dar, com isto está montado o cenário de lado esquerdo.
É de 1989, o ano em que eu nasci. O que me faz pensar romanticamente que ela já foi feita a pensar em mim (por aquela senhora funcionária da Chanel, de cabelo muito arranjado e sorriso maravilhoso, enquanto a costurava à mão). Mas isto é o meu lado esquerdo da vida.
“É daquelas carteiras clássicas que ficam bem com tudo”, mas que nunca sai do armário porque tenho mais medo de perdê-la do que todo o seu interior. Neste caso, o interior não é o mais importante. Não é o coração do ser, mas a pele que o reveste. Oh! A pele da Chanel! Preta, brilhante, duradoura! Digam lá se isto não é de lado esquerdo…
“O problema não está nas coisas que temos, mas na importância que lhes damos.”
O problema não é ter um lado esquerdo da vida, é quando o deixamos de olhar do lado direito.

3 comentários:

Teresa Moutinho disse...

Muitissimo bem apanhado! :)

alexandrachumbo disse...

Gostei muito deste post, muito muito muito, simples e directo, curto e eficaz. Obrigada, de todos os lados :)

Rosarinho MB disse...

que lindo, kiki!!!!