terça-feira, 11 de novembro de 2014

Nota mental


Todos nós temos uma lista mental de coisas a fazer e situações a evitar, tipo: não aceitar nada de desconhecidos, não pedir esparguete à bolonhesa num first date. Eu hoje acrescentei: não usar sabrinas em dia de chuva. Não perguntem como é que ainda não estava lá. Ou se estava, não perguntem como decidi ignora-la e pensei que era mais forte que as previsões meteorológicas. Resultado: o previsível. Pés encharcados e uma dor de garganta à porta.

Mas o dia ainda ia a meio e ainda havia muita chuva para cair. O problema é que as previsões meteorológicas não preveem tudo e não me avisaram que a caminho de uma entrevista o meu carro ia ficar sem bateria. Mas como o dia ainda ia a meio liguei para aquele que me salva sempre de todas e siga para bingo.

Já vos contei que sou a pessoa mais desorientada do mundo? Já… Não sei como mas lá consegui escapar às indicações do Google maps escritas no verso de um recibo que tinha perdido na mala. "Como é possível, tantas rotundas e nenhuma indicação útil!" (como se a culpa não fosse inteiramente minha). Numa corrida contra o tempo e contra a chuva lá consegui chegar ao meu destino, com um atraso miserável.

Depois da bateria do carro carregada foi hora de ir dar uma grande volta porque a sua mecânica prevê que faça uns bons quilómetros para que volte tudo ao normal. E por isso, neste final deste dia de chuva decidi acrescentar mais uma nota mental: depois da bateria novamente carregada é preciso continuar a andar, andar e andar.

3 comentários:

Rosarinho MB disse...

Ni, não vais acreditar que ia escrever um post sobre usar sabrinas à chuva. Estamos juntas, lol. Ontem, com toda a chuva que estava, a Rosa decide usar sabrinas... e andar a pé por Lisboa! lol...

M. dita disse...

confirmo a intenção da Rusa.
Mas gostei muito deste texto e (re)vejo-me na tua (des)orientação!

Ni disse...

Rusa escreve na mesma!!!! Assim não me sinto mal de ser a única com essa ideia peregrina :) saudades vossas!