quarta-feira, 22 de agosto de 2012

E sabem do que é que eu gosto mesmo, mesmo, mesmo?

Daquelas pessoas que não conhecem o conceito de "tresandar": eu tresando, tu tresandas, ele tresanda.. a perfume. E que ao entrarem num restaurante, transformam os pratos do dia, adicionando esse condimento extra que é a sua fragância.
E hoje foi sopa de feijão e legumes com ralph lauren. Très chic!

5 comentários:

Anónimo disse...

E se as pessoas gostarem de cheirar bem? Era pior se do contrário se tratasse, creio eu. Além disso há perfumes que mesmo pondo uma ou duas gotas ficam na pele o dia tooooodddooo. A própria pessoa não se dá conta mas o perfume lá está a dar o ar da sua graça.

Bjs

Catarina Nicolau Campos disse...

AHAHAHAHAAH!! Muito bom, Annie!

Eu sou apaixonada por perfumes, aliás já tenho planeado escrever sobre este tema aqui, mas acho que não se pode confundir um bom perfume que fica na pele o dia todo com excesso de perfume, que "contamina" o resto do ambiente e das pessoas.

É óptimo que se cheire o perfume de determinada pessoa quando se cumprimenta ou quando passa por nós deixando a fragrância a dissipar-se suavemente, mas acho que roça a falta de respeito quando há uma intoxicação intencional, que, amiúde se trata de aromas intensos e envolventes que podem não agradar a todos.

Ana Ulrich disse...

Querido Anónimo, escapou-me referir que adoro perfumes. E pessoas a cheirar bem (big news). É preciso voltar a ler outra vez e reparar no verbo "tresandar", que no sentido real da palavra implica sempre um exagero. Ainda bem que gosta de cheirar bem e que usa perfumes que se mantêm na pele. Mas aqui referia-me a mais do que a pele: a atmosfera, o espaço total abrangido pela pessoa e por fim, a minha sopa.

Beijos para si, Anónimo bem cheiroso!

Ana Ulrich disse...

É isso mesmo querida amiga-e-mãe-daquela-bebe-que-eu-adoro! Para mim, não há melhor cheiro que o sabonete mas quando complementado com perfumes, é explosivo. No bom sentido! Explosivo de bom. Gosto quando passam por mim e fica o cheiro, às vezes apetece voltar atrás e perguntar: "aa.. desculpe mas, qual é o perfume que usa (nunca tive lata)". Mas já vi que é um assunto sensível (tal como os gostos, cuidado quando escreveres sobre isto, nunca digas que o da barbie é para crianças..).

E por isso gostaria só de lamentar a minha sopa que teve um condimento a mais, que não joga com os feijões que nela nadavam.

Beijos para ti, Cate bem cheirosa!

Maria disse...

Pessoas que fazem dor de cabeça às outras, percebem o que eu digo? É só isso, mais nada. E um dia um casal veio atrás de mim na rua, entrou no meu escritório e perguntou-me qual era o meu perfume. Eram ingleses e atrevem-se a isso (eu também passo a vida a perguntar de onde são as coisas e as pessoas nunca se negaram a dizer-me, pelo menos as desconhecidas). Eu vinha do ginásio toda perfumada... Era o Angel - Thierry Mugler(ou se adora ou se odeia). E achei aquilo um elogio tão grande que pus o perfume no braço da rapariga, porque o tinha comigo, pois andava no meu saco do ginásio (agora já acabou:-)). Eu peço que continuem a escrever sobre o que entenderem, sim! gostos... discutem-se. Pelo menos: é isso que eu defende e é essa a minha luta. Se não... não podemos falar de "bom gosto", certo?