quinta-feira, 10 de setembro de 2015

porque todas as vidas contam.

Queria só fazer uma pergunta em relação a esta noticia aqui:
O numero de abortos feitos às crianças em Portugal contaram nesta estatística?
 
 

2 comentários:

Rosarinho MB disse...

=)

Francisco Vilaça Lopes disse...

Dita, infelizmente é um pouco mais perverso do que isso: eles acham que os abortos provocados aliviam o trabalho dos serviços de obstetrícia (parteiras, médicos obstetras, blocos de parto, etc.) e pediatria (vagas de berçário, cuidados intensivos neonatais, etc.), permitindo poupar esses recursos para os que nascem. Ou seja, se todos nascessem, teríamos que dividir por todos estes recursos, que são escassos, e não seria possível manter a actual estatística da mortalidade infantil.
Por exemplo, aqui onde vivo, por cada 1000 nascimentos há 320 interrupções voluntárias da gravidez :(