segunda-feira, 17 de setembro de 2012

Arranjadinha.


Quem me conhece sabe que eu gosto muito de roupa. Gosto mesmo. Mas não é só de roupa, é tudo aquilo que lhe está associado.
1.       Gosto de estar arranjada, de estar bem vestida, bem apresentada. Não gosto de estar trapalhona, mal vestida. Ultimamente (no último ano) a minha preocupação tem sido em arranjar tops arranjadinhos. Gosto muito desta palavra- “arranjadinho”, porque no que toca a roupa é-me muito importante. Sim, gosto de coisas mais extravagantes como o padrão de leopardo, neon, o que quer que seja. Não gosto de saias e calções curtinhos com as bochechas do rabo à mostra, não gosto que se vejam as alças do soutien, não gosto de grandes decotes, não gosto de barrigas à mostra, não gosto de trapalhices, ponto. Ela não era vaidosa, mas tenho a certeza que Nossa Senhora também tinha cuidado consigo mesma. E eu tento seguir-lhe o exemplo.
2.       Dá-me um gozo enorme ver miúdas e senhoras bem vestidas, amigas ou estranhas, ao contrário do aperto que me dá ver uma mulher com um vestido a rebentar pelas costuras, ou com transparências terríveis. Se estão bem vestidas e vão a passar na rua eu olho, mesmo à descarada. Que giro, nunca me teria lembrado de usar aqueles padrões assim. Que bem que lhe ficam aquelas calças. Onde será que ela trabalha? Nas festas e nos jantares elogio as minhas amigas, que lenço tão giro, que toilette tão bem posta. Às vezes tenho medo que as pessoas achem que estou a elogiar só porque sim, para dizer alguma coisa simpática, mas que fique aqui registado que não, é mesmo genuíno!
3.       Esse vestido fica-te mesmo bem, de onde é? É uma pergunta que me salta da boca antes de eu sequer pensar. Há quem não goste nada que se lhe pergunte de onde é isto ou de onde é aquilo; okay, tudo bem. Ainda este sábado fui a um casamento onde havia uma miúda com um vestido LINDO, e quis logo saber de onde era. Qual é a probabilidade de eu acabar por comprar o mesmo vestido e voltar a encontrar-me com ela e de estarmos as duas de igual? Gosto de saber de que loja é, de que marca, de quem herdou, ou quem fez porque gosto de descobrir lojas, designers, e coisas novas. Ela diz-me onde comprou o vestido, e quem sabe eu encontre um casaco mesmo giro no mesmo sítio?
4.       Por outro lado, se me disserem que a minha camisa é muito engraçada saltam-me imediatamente alguns elementos da boca: obrigada, é desta loja, e custou isto. Será que é feio dizer o preço assim sem mais nem menos? Não sei… De seguida vem “a história”. Sim, porque cada peça de roupa que tenho tem uma história. Juro. Estava a ver uns vestidos meus com a minha amiga Vera, para lhe emprestar, e de repente percebi que sempre que lhe mostrava um também contava uma história. Este foi a minha irmã que disse ao meu irmão para me oferecer porque sabia que eu queria e depois…este custou-me dois euros na Feira da Ladra, e depois foi só….este era muita caro mas depois…este era da minha Mãe, que o usou no dia em que…
5.       Dá-me um gozo enorme emprestar roupa. Emprestei os meus vestidos (quase) todos à Vera para ela experimentar em casa e deu-me um gozo que nem vos passa. Eu comprei-os, mas a verdade é que não os vou usar todos os dias da minha vida, e se a Vera os puder usar e também lhe der imenso gozo usar um vestido giro sem que isso lhe custe um tostão, ainda melhor.
6.       Tudo o que eu compro vejo como um investimento, quer me custe dois euros ou vinte ou trinta. Só dou roupa ao fim de uns bons anos (defeito grande!!),e mesmo que hoje compre um vestido giríssimo mas que sei que não vou ter ocasião  para usar tão cedo, sei que o hei-de usar, emprestar, e dar bom uso…eventualmente. Se não usar dou a alguém, ou vendo na Feira da Ladra, no Lx Market, no Facebook, onde for.
7.       Com as grandes lojas como a Zara, a Massimo Dutti, a Mango, é inevitável que de vez em quando apareça uma ou outra de igual. Who cares? Eu acho mesmo engraçado. Okay, se o vestido lhe ficar muito melhor que a mim talvez não seja assim tão engraçado. Mas em geral até acho piada, rimo-nos, tiramos uma fotografia.
8.       Mas como é óbvio que é mais giro e sentimo-nos muito mais originais se soubermos que a camisola é “exclusiva”, porque foi feita pela Avó, ou porque foi aquela miúda que tem imenso jeito que fez, ou porque mandei fazer na costureira. O que não falta são jovens designers portugueses a aparecer aqui e ali, com coisas muito originais, a preços muito amigáveis.
9.       Original é bom; não é bom é se for porque interpretamos mal o dress-code. Óbvio que não é o fim do mundo, mas também não é muito simpático. Gosto imenso de ver como é que as pessoas interpretam o dress-code de maneira diferente. Não para dizer que aquele está bem e aquele está mal, mas acho muito curioso a forma tão diferente como as pessoas interpretam a mesma expressão. O casamento da minha irmã foi smart-casual. Houve uma pessoa de fraque, houve outra de calças de ganga. É muito curioso.
10.   Não imaginam o que eu me divirto nos saldos ou numa loja barata. A sério, não podem imaginar. Que gozo que gozo que gozo. Encontrar uma coisa a 1/10 do preço. Encontrar aquele fato de banho que eu queria super barato. Encontrar oportunidades óptimas. Comprar. Trocar. Devolver. Oferecer.
11.   Numa próxima oportunidade: tirar um bom curso de corte e costura. 

7 comentários:

Catarina Nicolau Campos disse...

Eu também quero tirar um curso de corte e costura!! Quando souberes de alguma coisa please tell me

Ana Ulrich disse...

E estás sempre tão gatinha!! Inspiras-me com os teus outfits VP!

Ini Vaz Pinto disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Ini Vaz Pinto disse...

Cate- lembras-te na nossa conversa de meninas nas Missões de falares sobre isto? Nossa Senhora de certeza que tinha cuidado consigo mesma, right? E os cursos de costura, quando voltar para Lx há um que quero fazer, combina-se com a senhora. Podemos fazer juntas :)

Ana- <3 tu é que cada vez estás mais gira, mas como a inveja é pecado..!!

Ana Ulrich disse...

Maluca! Olha, quando começas a escrever sobre esse sítio lindo??? Que sonho! Adorei estar aí :) first impressions? <3

Clara F disse...

Gostei imenso do teu post, Ini Vaz pinto! =)) E revi-me totalmente nele! ^^
Achei imensa graça neste ponto: "se me disserem que a minha camisa é muito engraçada saltam-me imediatamente alguns elementos da boca: obrigada, é desta loja, e custou isto" xD Não conhecia + ninguém q o fizesse para além de mim! =D E qndo faço isso, às vezes as pessoas ficam tipo <>. Mas então pq? Eu gosto imenso de partilhar as coisas de que gosto e dar a conhecer os meus locais preferidos para as comprar (pq às vezes há coisas mesmo difíceis de encontrar). E mt sinceramente, acho que não tem mal fazer isso =))

Ini Vaz Pinto disse...

Ahaha, que querida Clara! Que bom saber que afinal não sou doida! E o facto de te reveres nele põe-me MESMO contente!! Beijinhos!