segunda-feira, 31 de dezembro de 2012

STATE OF MIND


Tu. Escreves tanto. Escreves porque sim e escreves porque não. Escreves para me mostrar que não tenho razão. Não tenho pois não? Escreves para orientar. E consegues. Escreves quando me levanto e escreves ao fim da tarde. Escreves a des-horas. Escreves uma palavra, às vezes duas. E chega. Escreves longos discursos. E não chega. Escreves na minha mesa de trabalho. Com a minha caneta-herdada-aos-18. Escreves para me mostrar que a caneta não é minha. Nunca foi. Escreves uma, duas vezes. Às vezes, três. Escreves em dias de chuva. Escreves no fogo da lareira. Escreves nas nuvens e escreves no mar. Escreves onde calhar. Onde calhar. Escreves no Outono e no Inverno. Escreves nas histórias de Verão.

Escreves para sempre. E escreves desde sempre. Escreves para mim, para eles. Quem são eles? Escreves nos primeiros segundos do meu dia e escreves enquanto durmo. Escreves como num jogo, um puzzle. Queres que encaixe as peças, mas são mais de 2500. Escreves na minha alma. Escreves com tanta calma. Escreves ontem. Escreves à bocado. Escreveste amanhã. Escreves porque sim e escreves porque não. Para me mostrar que até tinha razão. Escreves para passar o ano. Escreves todo um novo ano. Bom ano!

Escreves de mil formas. Cartões de Natal, mensagens, cartas. Escreves através da música. Escreves naquele filme. Escreves através deles. Quem são eles? Escreves no trânsito, escreves no metro. Escreves para aquele grupo de amigos. Escreves naquele sem-abrigo. Escreves na miúda que cruzou a passadeira. Escreves na pausa para um cigarro. Escreves para lhe arrancar uma gargalhada. Daquelas bem altas, que chocam os mais contidos.

Escreves para o fazer pensar. Escreves para a fazer parar. E olhar para este ano incrível que passou. E preparar para entrar no melhor ano desta vida. Porquê o melhor? Porque o passado já lá vai e 2014 não é nosso. Este é. Começa à meia-noite. Escreves com o dedo. Escreves com pincél. Escreves com a forma de olhar. Escreves para me fazer acalmar - os vários cavalos que deixo à solta durante o dia. Escreves para aumentar o meu acreditar. Sai uma dose de fé para a mesa 6.

E às vezes não escreves. E obrigas-me a um tão grande jogo de cintura para interpretar o porquê dessa pausa para virar a página.

Desta vez sei. Passas da página 2012 para a 2013.

Obrigada por este capítulo que acaba hoje!

7 comentários:

Rosarinho MB disse...

QUE BONITO!!!!!!!

Rosarinho MB disse...

estás mesmo inspirada. estou a ver que o ano 2013 promete bons textos!

hlx disse...

Muito bom! Like!

TeresaHU disse...

Adorei! As vezes acho que não te conheco..

Ana Ulrich disse...

Muito inspirada para este novo ano! Obrigada queridas/queridos

Joana Nestor disse...

Lindo Lindo! "Aqui há talento" Obrigada!

Bom ano!

Beijinho

Ana Ulrich disse...

Bom ano querida Joana! Volta à capital com mais tempo assim que possas, muitas saudades deste lado.. Um beijo grande