quinta-feira, 23 de fevereiro de 2012

O segredo por detrás da organização feminina

Um dia, numa dessas aulas a que assistem futuros advogados, perguntou o professor: "Qual é o livro fundamental na vossa vida profissional?". Às respostas que se seguiram - "O Código Civil", "O Código Deontológico" - o professor ia sorrindo e abanando negativamente a cabeça. Passados alguns minutos, foi preciso contar o segredo.

Agendas. As melhores amigas, não só de qualquer advogado, mas de qualquer mulher. O que seria de nós sem aquele montinho organizado de papel, quase sempre repleto de informação? Há dias em que, temos que concordar, a agenda se converte na maior inimiga de todos os tempos. São os dias em que, depois de um alegre acordar, ela nos conta que temos um encontro muito pouco desejado, uma reunião com um cliente menos amistoso, ou uma aula suplementar com que não contávamos. Mas, nos outros dias, temos que lhe agradecer por nos lembrar de coisas tão variadas como o dia de anos de uma amiga, aquele almoço tão ansiado, ou o feriado de que já não nos lembrávamos.

E depois existe aquela lista, anexa à agenda, das "coisas a não esquecer". Trata-se, em poucas palavras, de uma lista infindável de pequenas coisas que não são para fazer aqui e agora, mas para "um dia destes". É a limpeza do carro, é a bainha da saia, é o corte de cabelo, é a marcação do dentista, é a limpeza do monte de peluches do quarto dos filhos, é a revisão da agenda do ano que passou. E a satisfação que dá quando vamos riscando, uma atrás da outra, todas essas tarefas, com a ideia de que a lista está a emagrecer? Mas ela volta sempre a engordar.

Sim, a agenda é uma amiga para toda a vida. Mas pode enganar-nos sem que nos apercebamos. Quando? Quando começamos a escrever, nessa lista de "para um dia destes", o programa com o marido, as brincadeiras com os filhos, o descanso do trabalho, o jantar com os amigos, ou a felicidade de cada dia. Aí, talvez seja a altura de deitar fora a agenda e começar a viver.

2 comentários:

CarminhoKopkeTúlio disse...

Teresinha, Tu és muito engraçada nas coisas que escreves e nas coisas que pensas =)

Segundo o/a wikipédia, como preferirem dizer, a agenda é:

Uma ferramenta de trabalho e só cumpre a sua função quando é plenamente utilizada. (Aqui tenho pena, porque gostava mesmo de usar as agendas que vou tendo até ao fim.)

As agendas vivem apenas um ano; (o que é optimo!! não há nada melhor do que abrir um novo caderno! o que seria de nós, se não tivessemos a oportunidade de mudar de cadernos, padrões, imagens e estilos todos os anos.. e ter aquela sensação de que este ano vai ser diferente..)

Elas têm vida curta e após o seu período de validade, não servem para mais nada - a não ser para recordar mais tarde a forma como ocupavamos o nosso tempo em miudas, o que é muito engraçado.

Que engraçado pensar nestas coisas..

TeresaHU disse...

Querida Carminho bem-vinda! Pois é! E é tão cómico ir ver as agendas de quando andávamos no 5º ou no 6º ano e já achávamos que tínhamos um montão de responsabilidades!! :)