sexta-feira, 15 de fevereiro de 2013

Uma história do dia dos namorados

Esta semana fui visitar os meus avós paternos a VR, estes avós têm muita paciência e como pessoas pacientes que são, tem um jardim muito bonito, muito cuidado, cada flor é regada com aquele carinho de avós...

Durante a manhã de hoje, dia 14 de Fevereiro, enquanto eu e o avô A. estávamos na sala a apanhar aquele sol de inverno, que entrava nas brechas da janela e batia nas capas dos nossos livros, o avô A. interrompia a sua leitura, e a minha,  para falar da crise, das parcerias publicas-privadas e como se vivia no tempo da sua mãe... entretanto aparece a avó H. com um vaso e uma planta (nitidamente seca) e diz-nos, "esta ciclame está a rebentar e vai dar uma flor linda", o avô A. respondeu logo com toda a prontidão, aquela prontidão do avô: "oh mulher, essa planta está morta!", e como a avó nunca se deixa, "claro que não está, és sempre a mesma coisa, um pessimista, esta semente ainda será uma bela flor". Depois começou uma típica discussão sobre quem sabe mais de jardinagem... até que eu posei a minha moleskine e disse, com o meu melhor ar irónico  "vá hoje é o dia dos namorados, não vão discutir isso..."
Depois do óptimo almoço de avó, o avô A. pegou nas chaves do carro e convidou-me a dar um passeio, lá fomos, e fomos até à florista, o avô pediu à menina as ciclames mais bonitas da estufa e levou as duas, chegamos a casa, tirou o vaso com a planta seca e substitui por estes dois vasos com duas lindas flores, e disse à avó H.. "Tu tinhas razão, rebentou lindas flores".
O amor é assim, não é somente dar flores é dar a razão, e como se faz isso? Numa forma muito simples, fazendo perder a nossa razão, e depois saber dar com muito estilo, como o avô A.!

2 comentários:

Joana Nestor disse...

LINDO!

Obrigada pelo texto e pelo testemunho dos teus avós:)

Rosarinho MB disse...

que giro!!!!!!!
Tb quero ser velhinha assim