quarta-feira, 27 de fevereiro de 2013

Um presente de Bento XVI

Enquanto fazia o trajecto para Lisboa esta manhã, ouvia a renascença e com agrado ouvi a Jornalista Aura Miguel dizer que no Vaticano se fala de um Papa "antes da vinda a Portugal" e um Papa "depois da viagem a Portugal". Pelos vistos a viagem ao nosso País marcou profundamente Bento XVI, que bom, porque também a nós nos marcou... 
Partilho convosco o "presente" que recebemos, o meu marido e eu deste "ainda a esta hora" Santo Padre.
 
Estava a contar os dias para receber em casa um convite para ir assistir à missa presidida pelo Papa no terreiro do Paço. O meu nome estava escrito numa letra dourada, muito bonita de facto, mas (e já sabiamos claro) era só o meu nome, o convite era individual e não dava direito a acompanhantes... É claro que o Dário e eu somos um só, mas de convite na mão sentia um misto de "alegria vs tristeza" esitando se havia de ir "lá mais para a frente" ou se ia para o meio dos amigos, com o marido. Como o meu marido me conhece muito bem, não foi preciso dizer-lhe nada, e já o tinha a olhar para mim com aquele ar doce a dizer "vais tu lá para a frente, aproveitas, é como se estivessemos os dois, afinal somos um só"...
 
Fui mais cedo que ele, mas com ele no pensamento. O desejo de estar perto do Santo Padre, de poder olhar para ele, rezar junto dele enchiam o meu coração no caminho para Lisboa. Ao mesmo tempo ia "pensando" que bom seria encontrar um convite "perdido" no chão :) Mas... ninguém perde convites para ver o Papa, certo?
 
Bom, cheguei cedo e um voluntário mostrou-me o sector onde me poderia sentar. Era muito perto do altar, mesmo atrás dos sacerdotes, por isso muito perto do Papa. Havia uma cadeira ao meu lado, e constantemente chegava alguém, que se sentava e passado pouco tempo se levantava. Comecei a achar este fenomeno curioso, a história repetia-se a cada 10 minutos sensivelmente: chegava alguém, sentava-se e depois ia para outro lugar. Não resisti e sentei-me por instantes no lugar para perceber o que se passava... percebi! É que o placard com a letra "C" (que identificava o sector do convite) estava mesmo em frente e tapava a visibilidade a quem ali se fosse sentar... estava explicado porque ninguém se aguentava ali.
Fui ficando, rezando, contemplando tudo, e sempre a pensar que o que eu gostava mesmo era que o meu Dário estivesse ali comigo naquele momento tão importante.
 
Avistei uma amiga: RITA!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!! Estás boa?! Enchi-me de coragem e perguntei se não tinha nenhum convite a mais... suspeitando que esta amiga provavelmente iria ter... e TINHA! Liguei para o Dário que já vinha a caminho no barco. Pedi a uma senhora para guardar os dois lugares (o meu e o lugar ao lado que ninguém queria, afinal já estava tudo tão cheio, que só havia cadeiras muito para trás) mais valia um lugar perto do Papa com um "C" à frente que um ecrã espalhado por essa Lisboa! Corri para ir ter com ele, dar-lhe o convite. Corremos para entrar, o Papa estava quase a chegar! Assim que nos sentámos, retiraram a placa do "C" porque a missa estava prestes a começar... "Vista espectacular de Bento XVI" mesmo ali á nossa frente. DEO GRATIAS!
 
Depois estivemos em Fátima... mas isso dava outro post!

2 comentários:

Rosarinho MB disse...

que lindo!!!!!!!
Que sorte!!!!!!!
beijinhos

alexandrachumbo disse...

Foi mesmo uma grande GRAÇA! Beijinho minha querida, e imperdoável em tempos de quaresma o post do ovo ehehehehe! Deve ser mesmo bom!